A aventura de um lamecense perdido em terras andinas!
Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007
2007...2008

Bolas... se todos os anos forem como este!!!!

 

Vamos ver... o que reserva o outro lado da porta...

 

...boa sorte y que les vaya bien a todos ustedes!



publicado por Llama Nando às 19:02
link do post | favorito

Domingo, 30 de Dezembro de 2007
Piro manias

Quando era miúdo delirava com o fogo. Acender o lume nas lareiras das casas dos meus avós era um vício, que levava ao clássico comentário do "...xixi na cama....".

Na altura gostava muito de ver os diferentes materiais a arder, de diferentes formas, a libertar odores e cores diferentes. Ainda hoje há algo de mistico em observar o fogo, para mim.

 

Não, não ando ou tenho tendências piromanas, so que no outro dia numa das minhas infindáveis viagens a solo, me lembrei de um detalhe, de tão inusual passatempo, como é observar o fogo.

 

Há diferentes tipos de materiais, e como eu disse de maneira distinta reagem ao fogo e ao calor. O caso da madeira é clássico. O pinho e o eucalipto tão massificados ardem com uma espetacularidade única. A chama é viva, muito quente logo de início e libertam-se cores e cheiros fortes. O pinho então como madeira resinosa que é, é uma mistura de cheiro e de uma facilidade de inflamação impressionante. Mas com a velocidade como se inicia assim  termina, sem deixar rasto ou vestígio.

Estas são as madeiras hoje em dia que estão em voga. Crescem mais depressa que todas as outras, permitem o corte com menos tempo de vida, adaptam-se melhor ao ritmo do nosso dia a dia. E ardem da mesma forma, intensa e muito rápida.

 

Depois há as madeiras nobres, outras madeiras como o carvalho por exemplo, que na sua maior parte são de arvores autoctones dos diferentes países. São arvores que demoram a crescer, necessitam cuidados, muitas delas que produzem frutos. Quando se usam para o lume, ardem de uma forma completamente distinta. Custa a começar, exigem trabalho, uma pinha, uma acendalha, algum papel e alguma dose de paciência.

Resistem ao fogo assim como resistiram à passagem do tempo, mesmo depois de talhadas e recortadas para o lume.

Quando finalmente começam a arder, o efeito é menos espetacular, os cheiros são mais suaves, a chama é menos luminosa, mas a duração.... O fogo que as consome, é também ele consumido por elas, produzindo o melhor carvão... que pode ainda ser novamente utilizado. O calor dura horas e horas, acompanha as noites frias, leva os cozinhados até ao ponto, fumega ja o dia nasceu hà horas...

 

Estas são também as madeiras esquecidas, aquelas que poucos hoje vêm necessidade em plantar, as que não dão resultados imediatos.

Tenho muita pena. Sempre as preferi. O fogo como todos os elementos e os extremos do nosso planeta mostra-nos a verdade e a fragilidade da nossa natureza.

 

Tenho saudades de observar o lume....

 



publicado por Llama Nando às 13:29
link do post | favorito

Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007
Italia che cosa voglio fare?
Dimme Italia lo que hago ahora!


publicado por Llama Nando às 02:03
link do post | favorito

Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2007
Adeus Santiago!
Falta pouco, uns dias, para deixar para traz a cidade do Smog eterno, o "balde", a cidade dos cerros e dos fins de semana desertos. Nada do que esperava dela bom ou mau se concretizou, por isso quase tudo foi uma surpresa. Até eu fui uma surpresa para mim próprio.
Não vivi em muitos sítios diferentes e é fácil de perceber que viver em Lamego, no Porto (nem é bem no Porto é em S.Mamede :) ) e em Santiago não é comparável.

Mas para mim é um mau pensamento, imaginar que teria de viver outra vez numa cidade assim. Por culpa de Santiago? Não sei bem, penso que não. Acho que é mesmo por causa da minha maneira de ser. Há relações assim, simplesmente não há relação possível, por culpa de ambos, ou por culpa de um dos dois, não há muito a fazer.

Cheguei a pensar e desejar ficar por cá mais tempo. As circunstâncias não quiseram, apesar de eu ter feito tudo ao invés das circunstâncias. Isso faz de mim provavelmente uma pessoa com sorte. Intransigente mas com sorte.

Gostava de ter gostado mais de cá estar. Gostava de ter vivido e aprendido mais, gostava de ter amado e odiado mais a cidade. Mas no fim sinto só pena. Pena por todos os que escolhem viver uma vida básica e medíocre, sem procurar algo mais. Pena por não conseguir entender que tipo de vida é esta, em que nada se quer e nada se dá, em que nem sequer é possível encontrar encanto em simplesmente ver o tempo a passar.
E principalmente medo, por não me conseguir adaptar, moldar a este ambiente. O homem instintivamente adapta-se ao meio ou tenta adaptar o meio a ele próprio. Eu definitivamente falhei instintivamente.

Alguém me disse algo que tantas vezes pensei durante estes meses. Como não consigo adaptar-me a uma cidade de hábitos tão parecidos com os meus. " Não me apetece sair, não me apetece fazer... invento uma desculpa e assim não tenho de ir....." PorquÊ? Definitivamente não gosto de reflexos do pior que há em mim, logo o desafio estava perdido à partida porque ninguém ia ganhar nada.

Há uns dias ofereceram-me uma placa que diz assim "Por querer lo mejor, casi me pierdo lo bueno". É uma boa frase, diz muito sobre a forma como os meus 26 anos têm decorrido. Fala muito de mim, mais até do que provavelmente a pessoa que ma ofereceu imagina ou pode entender.
Mas Santiago é diferente... Já há alguns anos tenho abdicado do melhor, era demais para mim abdicar do bom também, em favor do básico e do medíocre. Não posso nem quero, nem consigo. Não dá. O que me faz mover É a ideia de algo mais, não a de mais do mesmo.

Por isso só digo adeus Santiago, y que te vaya bien!


publicado por Llama Nando às 04:20
link do post | favorito

Domingo, 16 de Dezembro de 2007
Ferias em Buenos Aires e o regresso ao cantinho à beira mar plantado!

Entao gente!

 

Estou quase de volta à terrinha e terminar esta grande aventura que tem sido a minha viagem pelo Cono Sur.

Estes ultimos dias passei-os em Buenos Aires, que e de longe a cidade mais interessante que visitei por estes lados. Diverti-me, descansei, passeei, comi tanto que ja nao podia mais, bebi (ooops) e principalmente acho que tive as ferias que tanto precisava, sem stress e muito bem acompanhado pelas minhas meninas do 1004 e por muita gente 5 estrelas, ah e claro pelo Meirinhos que continua a ser o maior!

 

Agora esta na Hora de voltar e de pôr a render tudo o que aprendi e vivi, vamos ver se tudo corre pelo melhor em Portugal.

Mas para jà, vou despedir-me de Santiago, e comecar a preparar-me para reencontrar a todos aì em Portugal (ja comeca a ser complicado dormir!)

 

Bjs para as meninas e abraco para os meninos!



publicado por Llama Nando às 18:12
link do post | favorito

Sábado, 1 de Dezembro de 2007
Viagens pelos antípodas...

Por estes dias tenho viajado um pouco mais a sul (1000km a sul de Santiago) pelo verde e impressionante Sul do Chile.

Comecei por Valdívia, uma das mais antigas cidades do país, na costa do Pacífico, chamada cidade dos rios. O mais impressionante neste sítio, tem contornos apocalípticos visto ter sido aqui em 1960 que se registou o epicentro do terramoto mais forte alguma vez registado pelo homem. Dos pormenores da tragédia ficou-me a imagem do maremoto com ondas de 10 metros de altura, a fazer lembrar as imagens do tsunami que aconteceu recentemente no Indico.

Em termos turisticos, nao ha muito para ver ou fazer. Foi muito engracado fazer o cruzeiro pelos rios e visitar o que resta dos antigos fortes espanhois do tempo da colonia. Como sempre acontece, tambem lá, um portugues deixou a sua marca, sendo responsavel pela construcao de um deles.

 

Depois de Valdivia, que no resto me aborreceu (nunca vi tantos turistas idosos na minha vida, quase tudo alemaes com 90 anos! ) ate à ponta dos cabelos, segui para Puerto Varas. Toda esta zona tem um traco de imigracao alema muito forte com construcoes muito similares. É a zona dos grandes lagos e dos vulcoes que se juntam aos Andes numa das paisagens mais interessantes que ja vi. Puerto Varas é pequeno mas agradavel. Parece-se um pouco a Pucon, so sendo diferente nas pessoas que o visitam. Pucon tem muitos jovens e é mais animado, puerto varas é visitado por gente de mais idade.

 

O melhor de Puerto Varas foi mesmo fazer parte do cruzeiro dos lagos. Este cruzeiro liga o Chile a Bariloche na Argentina e cruza varios lagos, com paisagens tremendas daquelas que usam para fazer os puzzles :) . Foi muito engracado e relaxante ate porque os katamarans tem excelentes condicoes. Como so fiz parte no final do dia tive de regressar pelo mesmo caminho, e para variar (ou nao) cruzei-me com uma familia portuguesa e mais uns quantos portugueses que andavam a fazer toda a viagem. O melhor foi quando descobri que a familia mora em paranhos, o pai é médico no centro de saude de S.Mamede de Infesta, e a mae tirou o curso de enfermeira na casa de saude da boavista, tal como a minha mae e quase na mesma altura. Incrivel? Nao. por aqui é mesmo assim, nao me deixam mesmo esquecer o que eu deixei em Portugal :)

 

Bem depois de cruzeiros, treking, cascatas, comidas típicas e um pouco de casino, segui para o objectivo principal desta parte da viagem. A ilha de Chiloé. Para chegar la pode-se ir de autocarro. O estranho da situacao é que vai-se de autocarro mas dentro de um barco (para um tipo como eu é estranho :)). Ja andei 10 vezes mais de barco estes dias que no resto da minha vida!

 

Nunca fui à Irlanda ou à Inglaterra, mas a ideia visual que tenho desses países é tal e qual o que tenho visto por aqui. Tudo muito verde, muita agua, muitos animais a pastar, cottages, essas coisas. Entao tudo isso, mais o clima que infelizmente piorou muito, fez-me lembrar que a ilha de Chiloé é uma especie de antipoda desses lugares, mas com um posicionamento similar so que noutro hemisferio! E o curioso é que tal como nas ilhas britanicas o imaginario daqui é povoado por lendas de bruxas, duendes, monstros marinhos...

 

Com o tempo como esteve nao deu para muitos passeios. Deu para perceber que ha muitas zonas ainda pouco exploradas e em que a natureza esta bastante preservada, mas tambem que como acontece muito no Chile, tambem esta zona esta esquecida pelo governo central, e onde as pessoas vivem mal e com poucas condicoes. Os palafitos, ou as casas construidas sobre a agua, com estacas de madeira, que alguns de voces me referiram por exemplo, estao numa degradacao tremenda. E ate as celebres igrejas de madeira de chiloe, patrimonio da humanidade da Unesco, estao muito mal conservadas.

 

Como ja tantas vezes me aconteceu por aqui, tudo o que é ressaltado como obra maior do homem, no Chile, acaba por me desiludir pela tremenda falta de respeito e cuidado, dos responsaveis chilenos hoje em dia (a fazer lembrar um certo pais que eu conheco...). Ja as paisagens e a obra da natureza, excedem sempre as minhas expectativas.

 

Ah é verdade, lembrei-me que hoje é 1 de Dezembro. Em 1640 uns quantos portugueses faziam com que nao fosse mais obrigatorio para nos aprender o castelhano.... Coitados, nao devem achar muita piada ao que eu ando a fazer :)

 

Hoje volto para Santiago, vamos la ver o que me vai trazer o mes de Dezembro, espero que seja o tao esperado encontro com todos voces para matar as saudades que ja me andam a deixar doido :)

 

Abraco para os meninos e claro bjs para as meninas! :P E parabens para o Miguel em Bruxelas e para Xaninha no Porto, que nao tratei muito bem nos respectivos dias de anos... :)



publicado por Llama Nando às 14:07
link do post | favorito

Quién soy yo????
posts recentes

Esperando o Inesperado!

Que grande volta!!!!

2007...2008

Piro manias

Italia che cosa voglio fa...

Adeus Santiago!

Ferias em Buenos Aires e ...

Viagens pelos antípodas.....

Mais um historria de Crrr...

Rapa Nui. A minha viagem ...

arquivos

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

pesquisar
 
links
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


Visitantes
plants
plants Counter
Info
Mapa do Chile

blogs SAPO
subscrever feeds